sábado, maio 29, 2004

Frio


Não há muito o que dizer dela, além da necessidade do uso de mais agasalhos e cobertores ao dormir. Incomoda-me em especial porque normalmente minha mãe costuma deixar para eu usar cobertores que ficaram mofando quase um ano no armário e como tenho uma reação alérgica forte, fico espirrando a noite inteira, mesmo me afastando dele. Usei um pouco, já era, rinite alérgica. Dormi mal esta noite por conta disso. Eu já estava mal humorado porque a Eletropaulo resolve fazer uma interrupção logo no final da minha sessão trashmovie, assistindo Scanners 2. Descobri que nunca havia visto. Bom, tem uma reprise no TCA em junho, se eu não esquecer eu vou vê-lo inteiro.
Hoje de manhã botei o cobertor exposto ao sol para que os malditos ácaros e a porcaiada microscópica morram. Assim espero.

quarta-feira, maio 19, 2004

PetroBarril caro



Petróleo caro, sim está caro, mas comparar com a alta nos tempos de Guerra do Golfo em 1991-92 há doze anos atrás é estupidez uma vez que não corresponde a realidade da maneira como é apresentada pelas agências de notícias. Se esquecem do fator inflação que os EUA também tem, e pela tabela que eu costumo usar para esse tipo de coisa, foi de aproximadamente 25%, o que já é razoável.
Vejamos, o barril a US$41 hoje, corresponde a US$30,75 daqueles tempos. Recuso-me a fazer comentários adicionais quanto a esse engano bravo.
Claro que isso não me faz concordar com essa alta especulativa do barril preto, meramente consequência dessa guerra imbecil e oriunda de motivos espúrios. Tomara que vire um outro fiasco como a Guerra do Vietnã com a derrota dos EUA. Infelizmente com consequencias terríveis para o povo invadido, principalmente por parte da povo inocente.
Bom, há um ponto positivo com a alta do petróleo se ela perdurar demais, o estímulo na adoção do uso de fontes alternativas de energia. Apesar do desiquilíbrio que vai gerar mundo afora a curto prazo nas finanças de muitos países. Bom, estão atirando no próprio pé. Gostando ou não.

sexta-feira, maio 14, 2004

Eu quero....



Querer ou dizer "Eu quero.." parece tão fácil, duro é poder ter meios para isso. Quando somos novos, temos o auxílio de nossos pais, ou nem isso muitas vezes, por dificuldades ou por orfandade.
Muitos abrem mão de seus desejos por limitações ou pior ainda, fazem pequenos furtos ou partem para a ilegalidade para saciar as vontades por meio de ganho ilícito de dinheiro, ou praticando delitos a outrem.
Preocupa-me seriamente pela maneira com que isso tem aumentado por aqui, ao mesmo tempo em que soluções estão sendo feitas, a criminalidade parece aumentar a passos mais rápidos que sua punição.
Claro que a impunidade só piora o quadro, mas mesmo com a devida punição severa institucionalizada, muitos longos anos serão necessários para remediar toda essa situação complexa e de muitas facetas.
Todos querem viver melhor, mas parece que pouco fazemos para isso, cobranças ao governo estão tardias, mas são importantes, e iniciativas individualizada e regionalizada serão igualmente necessárias.