sexta-feira, abril 14, 2017

Sepse Brasileira - Uma Paralisia

Tive a esperança que fosse ter êxito, mas já ruiu face à realidade presente. Administração essa eivada de problemas e falta de apoio parlamentar, cujo quid-pro-quo nefasto é por demais exagerada, vícios perenes de difícil extinção do comportamento humano dos partícipes da cadeia decisória brasileira tal qual um vício químico quando a escassez de acesso e ingestão faz perder a racionalidade.

É dito como ilegítimo o atual administrador-mor. Opinião igualmente dependente da conveniência dos envolvidos. Os prejudicados assim afirmam por mera condição desfavorável e os favorecidos inversamente não sê-lo por uma co-participação de todos tipos.

A corrente caçada em processo iniciado pela justiça fez tremer todo o conforto dos grupo dos outros dois poderes. O resultado de difícil previsão, uma vez que prevalecerá as regras subterrâneas de chantagem e favorecimento financeiro que deturpam há tanto tempo a relação dos três poderes.

Tanto tempo? Uma herança dos tempos de colonização e império vícios como citei antes que perduram até o presente, a única diferença é como um câncer, que começa pequeno, cresce, passa a formar metástases a contaminar tudo que o cerca e que no fim leva ao colapso e à sepse, quando tudo para de funcionar e a consequente morte.